Carnavalesco explica recusa de enredo sobre Huck: fora do ‘padrão Mangueira’

Grupo Especial - Rio Mangueira

Luciano Huck – Thiago Duran/AgNews

O carnavalesco da Mangueira, Leandro Vieira, confirmou nesta quinta-feira que o enredo sobre Luciano Huck foi oferecido à escola este ano. O patrocínio era de R$ 6 milhões, conforme foi noticiado na ocasião pela revista Veja.

“(O enredo sobre) Luciano Huck chegou, mas eu descartei. Nada contra ele, mas não era pertinente para a Mangueira”, explicou Vieira em entrevista ao jornalista Leonardo Bruno, do Extra.

Leia também:
OPINIÃO: Em tempos de restrição, Mangueira se posiciona e compra briga

Mangueira anuncia enredo-resposta a Crivella e manda o povo brincar Carnaval sem dinheiro

“Se parar para pensar, a Mangueira já homenageou Carlos Drummond de Andrade, Chico Buarque, Chiquinha Gonzaga, Dorival Caymmi, Braguinha, Chiquinha Gonzaga, Jorge de Lima, Maria Bethânia… Personalidades da cultura brasileira de qualidade inquestionável. Existe um padrão para a Mangueira. Pode ser que o Luciano Huck atinja, mas até o momento não tinha atingido o padrão Mangueira para se tornar o enredo da escola”, disse o carnavalesco.

Além da Verde-e-Rosa, outras três escolas foram cogitadas para o enredo sobre o apresentador da TV Globo: Salgueiro, União da Ilha e Portela.

Huck se defendeu dizendo à Veja que teve seu nome usado por um compositor, que entrou em contato com as escolas. O apresentador negou que tenha oferecido dinheiro.

Leia também:
Crivella confirma corte de verba para escolas anuncia fundo
Vereador diz que Carnaval é culto a orixás com dinheiro público e fonte de lucro para tráfico e prostituição
Carnaval SP: Doria sinaliza redução de verba da prefeitura, mas garante recursos
Presidente de escola se desculpa por ter apoiado Crivella nas eleições
Site fala em ‘profecia’ feita por cantora gospel: ‘Carnaval vai falir’
Alcione: ‘nesse país os caras roubam na Petrobras e a culpa é do samba’
Secretário de Crivella sugere corte de 100% da verba para escolas e critica Paes

 

Sobre o autor

Romulo Tesi

Romulo Tesi

Jornalista carioca, criado na Penha, residente em São Paulo desde 2009 e pai da Malu. Nasci meses antes do Bumbum Paticumbum Prugurundum imperiano de Aluisio Machado, Beto Sem Braço e Rosa Magalhães, em um dia de Vasco x Flamengo, num hospital das Cinco Bocas de Olaria, pertinho da Rua Bariri e a uma caminhada do Cacique de Ramos, do outro lado da linha do trem. Por aí virei gente. E aqui é o meu, o nosso espaço para falar de samba e Carnaval.

Deixe o seu comentário