Samba-enredo da Peruche sobre Martinho da Vila terá 25 compositores

Grupo Especial - São Paulo Peruche
Romulo Tesi
Escrito por Romulo Tesi

A paulistana Unidos do Peruche terá no Carnaval 2018 um samba com incríveis 25 compositores. O enredo da escola será o sambista Martinho da Vila.

A final da disputa para a escolha da obra que será cantada pela agremiação aconteceu neste domingo, na quadra da escola, no bairro do Limão, na Zona Norte da capital. Dois sambas estavam na disputa.

Após as apresentações das duas parcerias, a diretoria anunciou o empate. Ou seja, o samba da escola será formado a partir de uma junção de duas obras, no caso as de números 8 e 10.

Por isso o elevado contingente de compositores. Segue a lista dos autores: Toninho Penteado, Nando do Cavaco, Emerson Brasa, Diley Machado, André Filosofia, Alcides Júnior, Sergio VJS, Marcelo Vila Isa e Leandro Bata’s (samba 10), Jairo Roizen, Ronny Potolski, Sucata, Morganti, Claudinho, Tavares, Valêncio, Butti, Evandro Malandro, Tubino, Alberjan, Jr. Fragga, Leo Rodrigues, Acioli, Meiners e Victor Alves (samba 8).

O enredo da escola, sobre a carreira de Martinho da Vila, foi batizado como “Peruche celebra Martinho. 80 anos do Dikamba da Vila”. A agremiação será a sexta e penúltima a desfilar na sexta-feira de Carnaval, dia 9 de fevereiro.

Leia também:
Luiz Melodia pode ser enredo da Estácio em 2019
Carnavalesco explica recusa de enredo sobre Huck: fora do ‘padrão Mangueira’
Vereador diz que Carnaval é culto a orixás com dinheiro público e fonte de lucro para tráfico e prostituição
Carnaval SP: Doria sinaliza redução de verba da prefeitura, mas garante recursos

Ouça abaixo os dois sambas:

Samba 8

Samba 10

Sobre o autor

Romulo Tesi

Romulo Tesi

Jornalista carioca, criado na Penha, residente em São Paulo desde 2009 e pai da Malu. Nasci meses antes do Bumbum Paticumbum Prugurundum imperiano de Aluisio Machado, Beto Sem Braço e Rosa Magalhães, em um dia de Vasco x Flamengo, num hospital das Cinco Bocas de Olaria, pertinho da Rua Bariri e a uma caminhada do Cacique de Ramos, do outro lado da linha do trem. Por aí virei gente. E aqui é o meu, o nosso espaço para falar de samba e Carnaval.

Deixe o seu comentário