Home » “A macumba do Paes é boa”: como a turma do Carnaval comemorou a prisão de Crivella

“A macumba do Paes é boa”: como a turma do Carnaval comemorou a prisão de Crivella

Turma do samba festejou prisão de Crivella, que cortou drasticamente a verba para as escolas

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, foi preso na manhã desta terça-feira, 22, em operação do Ministério Público em conjunto com a Polícia Civil. Crivella foi detido em investigação que apura o que ficou conhecido como QG da propina na prefeitura. Ao ser detido, o prefeito se defendeu dizendo que “tirou dinheiro do Carnaval“, citando o corte de verba para as escolas de samba como algo positivo da sua gestão. Curiosamente, investigação apontam irregularidades justamente em contratos envolvendo a folia. Nas redes sociais, a turma do samba em geral comemorou a prisão de Crivella.

Mais:
Após viralizar na internet, Tia Surica não se arrepende de xingamento a Crivella: ‘foi espontâneo’

Candidatos das escolas de samba, Paes e Covas vencem no Rio e em São Paulo; relembre briga Crivella x Carnaval

Durante os quatro anos de gestão Crivella, o prefeito fez seguidos cortes na subvenção para as escolas de samba, até zerar os repasses, e chamava o Carnaval de “bebê parrudo que precisa ser desmamado”.

Veja as reações:

Alguns lembraram a declaração de Crivella no debate eleitoral da TV Globo, quando o prefeito debochou de Eduardo Paes por usar “chapéu de Zé Pilintra”.

Imagem que circula nas redes sociais

O compositor de samba-enredo Thiago Souza, dos Marcheiros, escreveu uma marchinha, gravada por Marcos Frederico. Ouça abaixo.

O jornalista Leonardo Bruno lembrou do desfile da Mangueira de 2018, inspirado no corte de verba da prefeitura.

Naquele desfile, assinado pelo carnavalesco Leandro Vieira, Crivella foi retratado como Judas.

‘Judas’ de Crivella no desfile da Mangueira de 2018 – Ide Gomes/Framephoto/Estadão Conteúdo

O próprio Vieira se pronunciou no Instagram:

O síndico do Sambódromo, José Carlos Machine, gravou um vídeo cantando uma verdão de “A macumba da nega é boa”, mas com o nome do prefeito eleito Eduardo Paes. E virou “a macumba do Paes”.

O sambista Leonardo Bessa gravou uma versão do samba do Salgueiro de 1971, “Festa para um Rei Negro”, famoso pelos versos “pega no ganzê, pega no ganzá”. O samba-enredo ficou marcado na gestão Crivella, tudo porque, na campanha em 2016, o bispo licenciado da Igreja Universal comemorou o apoio de dirigentes do samba cantando o clássico de Zuzuca.

Relembre:

O coletivo Carnavalize lembrou da escultura do “Crivella diabo”, feita para o desfile de 2019 da Acadêmicos do Sossego. A escola negava que se tratava do prefeito, mas obra acabou não indo para o desfile,

Romulo Tesi

Romulo Tesi Jornalista carioca, criado na Penha, residente em São Paulo desde 2009 e pai da Malu. Nasci meses antes do Bumbum Paticumbum Prugurundum imperiano de Aluisio Machado, Beto Sem Braço e Rosa Magalhães, em um dia de Vasco x Flamengo, num hospital das Cinco Bocas de Olaria, pertinho da Rua Bariri e a uma caminhada do Cacique de Ramos, do outro lado da linha do trem. Por aí virei gente. E aqui é o meu, o nosso espaço para falar de samba e Carnaval.

Adicionar comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.