Home » Adoniran Barbosa será o enredo da Dragões da Real no Carnaval 2022

Adoniran Barbosa será o enredo da Dragões da Real no Carnaval 2022

Adoniran Barbosa
Adoniran Barbosa – Reprodução

A Dragões da Real, escola de samba paulistana do Grupo Especial, anunciou neste sábado, 28, que o tema do desfile no Carnaval 2022 será o cantor e compositor Adoniran Barbosa. O desenvolvimento ficará a cargo do carnavalesco Jorge Silveira.

A agremiação havia anunciado outro enredo anteriormente, “O dia em que a Terra parou”, inspirado na paralisação forçada pelo coronavírus e na música (e disco) com o mesmo título de Raul Seixas. Mas desistiu da ideia.

A Dragões já havia inclusive escolhido o samba, que tem o humorista Marcelo Adnet entre os compositores – a obra também é assinada por Thiago SP, Léo do Cavaco, Renne Campos, Darlan Alves, Rodrigo Atração, Alemão do Pandeiro, Paulo Senna, André Carvalho e Tigrão.

Com a mudança de enredo, o novo samba sobre Adoniran foi encomendado à mesma parceria, que ganhou o reforço do neto do sambista, Alfredo Rubinato. A sinopse foi escrita pelo jornalista e escritor Fábio Fabato.

Ouça o samba:

A escolha do enredo para 2022 é oportuna para a homenagem, quando se comemora 110 anos do nascimento do sambista. Adoniran, aliás, atuou além do samba, trabalhando também como ator e humorista.

Será a primeira vez que Adoniran terá um enredo totalmente dedicado a si no sambódromo que leva seu nome.

Veja também:
Veja a ordem dos desfiles do Carnaval 2022
Confira o resultado do Carnaval 2020 no Rio de Janeiro
Veja quando cai o Carnaval em 2022

Enredo da Vila, Martinho crê em Carnaval em 2022 com vacinação

Nascido João Rubinato, em Valinhos – na época um distrito de Campinas – Adoniran adotou o nome artístico emprestado de um amigo e do cantor Luiz Barbosa.

Símbolo do samba paulistano, foi um dos maiores nomes da música brasileira, a quem deu diversos clássicos, como “Trem das Onze”, “Saudosa Maloca” e “Samba do Arnesto”.

Estas e muitas outras músicas de sua autoria compõem um mosaico de imagens da São Paulo da sua época, uma cidade que se desenvolvia e se modernizava ainda mais rapidamente a partir dos anos 1950, mas que ainda guardavam algum bucolismo.

“Saudosa Maloca” é a própria crônica da cidade que, para crescer, derruba o que vê pela frente.

Foi aqui seu moço
Que eu, Mato Grosso e o Joca
Construímos nossa maloca
Mais um dia nem quero me lembrar
Veio os homens com as ferramentas
O dono mando derruba

“Saudosa Maloca”, Adoniran Barbosa
Logo oficial do enredo

Romulo Tesi

Romulo Tesi Jornalista carioca, criado na Penha, residente em São Paulo desde 2009 e pai da Malu. Nasci meses antes do Bumbum Paticumbum Prugurundum imperiano de Aluisio Machado, Beto Sem Braço e Rosa Magalhães, em um dia de Vasco x Flamengo, num hospital das Cinco Bocas de Olaria, pertinho da Rua Bariri e a uma caminhada do Cacique de Ramos, do outro lado da linha do trem. Por aí virei gente. E aqui é o meu, o nosso espaço para falar de samba e Carnaval.

Adicionar comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.