Setor 1

Chiquinho da Mangueira é preso em operação da PF

Chiquinho da Mangueira na Alerj – Foto: Thiago Lontra/Alerj

O presidente da Mangueira, Francisco de Carvalho, o Chiquinho da Mangueira, está entre os deputados estaduais do Rio de Janeiro presos em operação da Polícia Federal, nesta quinta-feira. O dirigente do samba, reeleito nas eleições deste ano, foi detido por volta das 7h30, na Barra da Tijuca.

Os deputados são acusados pelo Ministério Público Federal de usar a Assembleia Legislativa do Rio para beneficiar a quadrilha de Cabral em votações, e receberiam em troca uma propina mensal – um “mensalinho”. O esquema teria funcionado entre 2011 e 2014, com irregularidades em contratos estaduais e federais.

Somente Chiquinho teria recebido R$ 3 milhões, segundo o MPF. No total, o esquema teria movimentado, por baixo, R$ 54 milhões no total.

Segundo a procuradora da República Renata Ribeiro Baptista, a situação de Chiquinho “chama a atenção” pelos valores, que teriam sido utilizados para “custear o Carnaval”.

Mais:
Lei Rouanet: escolas de samba do Rio têm quase R$ 30 milhões aprovados
Crefisa patrocina Mancha Verde com R$ 2,5 milhões via Lei Rouanet; escolas de São Paulo têm R$ 13,4 mi aprovados

Alvo de mandado de prisão temporária, Chiquinho é o corregedor parlamentar Alerj. Neste posto, fica responsável por abrir investigações e presidir inquéritos sobre os deputados.

A operação Furna da Onça, um desdobramento da Cadeia Velha, conta com 200 policiais e cumpre no total 19 mandados de prisão temporária e três de preventiva, além de 47 mandados de busca e apreensão. A investigação é sobre um suposto esquema de corrupção chefiado pelo ex-governador Sérgio Cabral.

As informações são da BandNews FM Rio. Leia a reportagem na íntegra aqui.

Romulo Tesi

Jornalista carioca, criado na Penha, residente em São Paulo desde 2009 e pai da Malu. Nasci meses antes do Bumbum Paticumbum Prugurundum imperiano de Aluisio Machado, Beto Sem Braço e Rosa Magalhães, em um dia de Vasco x Flamengo, num hospital das Cinco Bocas de Olaria, pertinho da Rua Bariri e a uma caminhada do Cacique de Ramos, do outro lado da linha do trem. Por aí virei gente. E aqui é o meu, o nosso espaço para falar de samba e Carnaval.

Adicionar comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Romulo Tesi

Jornalista carioca, criado na Penha, residente em São Paulo desde 2009 e pai da Malu. Nasci meses antes do Bumbum Paticumbum Prugurundum imperiano de Aluisio Machado, Beto Sem Braço e Rosa Magalhães, em um dia de Vasco x Flamengo, num hospital das Cinco Bocas de Olaria, pertinho da Rua Bariri e a uma caminhada do Cacique de Ramos, do outro lado da linha do trem. Por aí virei gente. E aqui é o meu, o nosso espaço para falar de samba e Carnaval.

Mais Categorias