Home » Escolas de São Paulo captam 25% dos R$ 15 milhões aprovados via Lei Rouanet; Mancha Verde lidera com Crefisa

Escolas de São Paulo captam 25% dos R$ 15 milhões aprovados via Lei Rouanet; Mancha Verde lidera com Crefisa

Sambódromo do Anhembi – José Cordeiro/SPTuris/Divulgação

As escolas de samba do Grupo Especial de São Paulo foram autorizadas pelo Ministério da Cultura (MinC) a captar quase R$ 15 milhões para o Carnaval 2018. No entanto, só R$ 3,7 milhões, aproximadamente, foram obtidos por meio da Lei de Incentivo, conhecida como Lei Rouanet – ou 25% do aprovado.

De acordo com levantamento do Setor 1 feito no sistema do Minc, nove agremiações paulistas apresentaram projetos. As outras cinco não formularam propostas ou os projetos não foram localizados.

Leia também:
Escolas de samba do Rio captam 11% dos R$ 35 milhões aprovados via Lei Rouanet
Vote! Qual escola de São Paulo tem o melhor samba de 2018?
Maiara e Maraísa cantarão no desfile da Rosas de Ouro
Já é Carnaval! Rosas de Ouro começa a levar carros para o Anhembi
Paulo Barros revela efeitos de fantasias da Vila Isabel; veja os vídeos
Prefeitura adia ‘Blocódromo’, e Rio ganha Carnaval fora de época
Veja o clipe! Na voz de Grazzi Brasil, samba da Tuiuti ganha versão acústica

Todas as nove tiveram valores aprovados, sendo que somente cinco conseguiram recursos com parceiros. Entre elas, a campeã é a Mancha Verde, de longe a escola com o maior montante captado: R$ 2.364.100. O valor foi obtido integralmente com um único incentivador, a Crefisa, poderosa patrocinadora do Palmeiras, que vem ajudando o clube a montar super times de futebol.

Com o patrocínio à Mancha, a financeira responde por 64% de total recebido pelas escolas. No ano passado, a agremiação já havia conseguido R$ 1,3 milhão com a Crefisa via Lei Rouanet.

Rosas de Ouro, Mocidade Alegre, Vila Maria e Gaviões da Fiel foram as outras agremiações que conseguiram captar valores.

Atual campeã, a Tatuapé teve cerca de R$ 1,3 milhão aprovado, mas não conseguiu recursos ainda. Na mesma situação, mas com valores diferentes, estão Tucuruvi, Peruche e Independente.

Veja a tabela abaixo:

Data da consulta: 24/01/2018

 

Veja abaixo as escolas que captaram recursos via Lei Rouanet e seus respectivos incentivadores:

Rosas de Ouro

Ituran Serviços Ltda.
Valor: R$ 40.000,00

Lojas Belian Moda Ltda.
Valor: R$ 232.000,00

Top Service Serviços e Sistemas Ltda.
Valor: R$ 60.000,00

Mocidade Alegre

Cebrace – Cia Brasileira de Cristal
Valor: R$ 550.000,00

Vila Maria

Vonpar Refrescos S.A
Valor: R$ 400.000,00

Gaviões da Fiel

Karina Indústria e Comércio de Plásticos Ltda
Valor: R$ 50.000,00

Mancha Verde

Crefisa S/A Crédito Financiamento e Investimentos
Valor: R$ 2.364.100,00

A Lei de Incentivo à Cultura prevê que cidadãos e empresas podem aplicar em projetos culturais parte de seu Imposto de Renda devido.

No sistema do MinC, o valor aprovado pela Mancha Verde é menor que o captado. Isso se explica pela redução do orçamento estabelecida pela Sefic (Secretaria de Fomento e Incentivo à Cultura) após a captação feita pela escola. Em contato com o blog, a agremiação declarou que foi tudo feito dentro da lei e que devolverá a diferença de R$ 75 mil, se assim for exigido.

Romulo Tesi

Romulo Tesi Jornalista carioca, criado na Penha, residente em São Paulo desde 2009 e pai da Malu. Nasci meses antes do Bumbum Paticumbum Prugurundum imperiano de Aluisio Machado, Beto Sem Braço e Rosa Magalhães, em um dia de Vasco x Flamengo, num hospital das Cinco Bocas de Olaria, pertinho da Rua Bariri e a uma caminhada do Cacique de Ramos, do outro lado da linha do trem. Por aí virei gente. E aqui é o meu, o nosso espaço para falar de samba e Carnaval.

Adicionar comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.