Home » Liesa se pronuncia e declara apoio ao cancelamento dos desfiles de 2021

Liesa se pronuncia e declara apoio ao cancelamento dos desfiles de 2021

Liga divulgou nota apoiando a decisão do prefeito Eduardo Paes de cancelar o Carnaval fora de época de 2021

Viradouro 2020 – Fernado Grilli/Riotur

A Liga Independente das Escolas de Samba do Rio (Liesa) se pronunciou a favor do cancelamento dos desfiles de 2021, que estavam marcados para julho. Mais cedo, o prefeito Eduardo Paes descartou a realização do Carnaval fora de época.

“Me parece sem qualquer sentido imaginar a essa altura que teremos condições de realizar o carnaval em julho”, declarou Paes.

Em nota, a Liesa “manifesta seu apoio e compreensão à referida decisão, tendo em vista o aumento geral dos casos de Covid-19 e o atual momento relacionado às incertezas quanto aos prazos de vacinação e imunização da nossa população”.

A entidade afirma ainda que a realização dos desfiles em julho de 2021 “sempre esteve condicionada à liberação das autoridades e também à segurança de todos os envolvidos no nosso espetáculo”.

Veja também:
Após cancelamento no Rio, São Paulo mantém desfiles em julho, mas aguarda autoridades

Como Dona Zica e um motorista atrasado ajudaram a criar clássica capa de Cartola
Após viralizar na internet, Tia Surica não se arrepende de xingamento a Crivella: ‘foi espontâneo’
Candidatos das escolas de samba, Paes e Covas vencem no Rio e em São Paulo; relembre briga Crivella x Carnaval

As 12 escolas do Grupo Especial já definiram seus enredos, e algumas chegaram a iniciar o processo de disputa de samba-enredo, que define a obra dos desfiles. A Liesa também já realizou o sorteio da ordem das apresentações, mas não se pronunciou sobre o assunto. A liga também não informou sobre o projeto das lives das escolas, que seriam realizadas com recursos da Lei Aldir Blanc.

Em contato com o Setor 1, a Liesa afirmou que no momento não há posicionamento oficial sobre os assuntos. Paes anunciou também o lançamento de editais para socorrer trabalhadores do Carnaval.

Em entrevista ao site Carnavalesco, o presidente da Liesa, Jorge Castanheira, tratou as lives como “fundamentais” e alertou para a necessidade de uma solução para escolas e trabalhadores. (Leia aqui)

Acesso

A Lierj, liga que organiza a principal divisão de acesso, a Série Ouro (antiga Série A), também se pronunciou a favor do cancelamento. O presidente da entidade, Wallace Palhares, destacou a necessidade de atenção aos profissionais do Carnaval.

“Nossa maior preocupação é sempre o sustento das famílias que sobrevivem do Carnaval, mas entendemos que a situação é complicada e todo o cuidado deve ser levado em consideração para que a saúde de todos, entre participantes e espectadores, seja sempre a prioridade. Vamos concentrar todos os esforços e planejamento para que 2022 seja o maior carnaval de todos os tempos”, disse Palhares.

A Liesb, uma das entidades que cuidam dos desfiles da Intendente Magalhães, também já está pensando em 2022. Representantes da liga estiveram reunidos nesta quinta com a presidente da Riotur, Daniela Maia.

“Mesmo com o cancelamento dos desfiles de 2021, e teoricamente sobrando mais tempo até 2022, não podemos relaxar nem descansar. Fomos recebidos na RioTur e já estamos nas tratativas para um grande Carnaval no ano que vem”,a firmou o presidente da Liesb, Clayton Ferreira.

Leia a nota da Liesa na íntegra:

De acordo com as declarações do prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, em suas redes sociais, nesta quinta-feira (21 de janeiro), sobre a não realização dos eventos de carnaval em julho deste ano, a Liesa manifesta seu apoio e compreensão à referida decisão, tendo em vista o aumento geral dos casos de Covid-19 e o atual momento relacionado às incertezas quanto aos prazos de vacinação e imunização da nossa população.

Lembramos, por oportuno, que a realização dos desfiles do Grupo Especial, no mês de julho de 2021, sempre esteve condicionada à liberação das autoridades e também à segurança de todos os envolvidos no nosso espetáculo.

Romulo Tesi

Romulo Tesi Jornalista carioca, criado na Penha, residente em São Paulo desde 2009 e pai da Malu. Nasci meses antes do Bumbum Paticumbum Prugurundum imperiano de Aluisio Machado, Beto Sem Braço e Rosa Magalhães, em um dia de Vasco x Flamengo, num hospital das Cinco Bocas de Olaria, pertinho da Rua Bariri e a uma caminhada do Cacique de Ramos, do outro lado da linha do trem. Por aí virei gente. E aqui é o meu, o nosso espaço para falar de samba e Carnaval.

Adicionar comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.