Setor 1

Liesb cancela lançamento de CD e diz que Uber foi ‘criminosa’ ao desistir de patrocínio

Desfile na Intendente Magalhães – Romulo Tesi

A Liesb (Liga Independente das Escolas de Samba do Brasil) decidiu cancelar a festa de lançamento do CD dos grupo B, C e D, inicialmente marcada para o próximo dia 9. O motivo, segundo o presidente da entidade, Gustavo Barros, é a desistência da Uber em patrocinar os desfiles.

“Por conta de tamanha instabilidade, a Liesb comunica que a festa de lançamento do CD oficial dos sambas-enredo das séries B, C e D, que aconteceria no próximo dia 9/12, foi adiado, porém ainda sem uma nova data confirmada”, afirma Barros em comunicado divulgado pela Liesb.

A empresa de transporte particular foi a única a apresentar proposta para patrocinar as escolas de samba do Grupo Especial (com R$ 500 mil para cada uma) e a infraestrutura dos desfiles dos grupos de acesso na Estrada Intendente Magalhães, no Campinho, Zona Norte do Rio de Janeiro. A previsão era que a Uber investisse R$ 2,5 milhões nos desfiles dos grupos B, C, D e E.

“Com toda esta indiscutível contribuição, que ganha maior relevância diante da grave crise em que o estado de encontra, nos causa profundo repúdio a notícia que a empresa UBER não irá cumprir com o compromisso firmado de patrocínio, que é de fundamental importância para a realização do maior evento cultural do Brasil e do Mundo. Tal atitude, além de irresponsável, torna-se criminosa, pois todo o processo do carnaval já se encontra em fase de execução com planilhas e custos pré-definidos”, disparou Barros.

O presidente da Liesb diz que ainda crê no “papel da RioTur e no poder público municipal”, mas promete não “ceder um milímetro de nossos direitos e representatividade da cultura nacional”.

Poucas alternativas

Sem a verba, as opções são buscar outro patrocinador ou conseguir que a Prefeitura pague pela infraestrutura, opção que parece distante no momento.

Para um novo apoiador disposto a bancar os desfiles, a Liesb tem a opção de tentar a captação via Lei Rouanet. A entidade obteve a aprovação de R$ 5.899.000 no Ministério da Cultura, mas ainda não conseguiu captar junto a empresas interessadas.

Veja abaixo o comunicado da Liesb na íntegra:

A Liesb (Liga Independente das Escolas de Samba do Brasil) vem a público expor e manifestar o que se segue:

Como é de notório conhecimento, o CARNAVAL é muito mais que entretenimento ou uma simples festa anual. O Carnaval e os desfiles das escolas de samba são ferramentas indispensáveis para a economia de todo o estado do Rio de Janeiro. Somos geradores de milhares de empregos, além de responsáveis por uma receita financeira inestimável, que sustenta toda esta cadeia em setores como o hoteleiro, restaurantes, comércio e turismo em geral.

Com toda esta indiscutível contribuição, que ganha maior relevância diante da grave crise em que o estado de encontra, nos causa profundo repúdio a notícia que a empresa UBER não irá cumprir com o compromisso firmado de patrocínio, que é de fundamental importância para a realização do maior evento cultural do Brasil e do Mundo.

Tal atitude, além de irresponsável, torna-se criminosa, pois todo o processo do carnaval já se encontra em fase de execução com planilhas e custos pré-definidos.

Por conta de tamanha instabilidade, a Liesb comunica que a festa de lançamento do CD oficial dos sambas-enredo das séries B, C e D, que aconteceria no próximo dia 9/12, foi adiado, porém ainda sem uma nova data confirmada.

A Liesb continua acreditando no papel da RioTur e no poder público municipal, porém não vamos ceder um milímetro de nossos direitos e representatividade da cultura nacional. Não abandonaremos o samba e enfrentaremos com grande obstinação aqueles que desejam deliberadamente destruir a cultura do nosso povo.

Gustavo Barros
– Presidente da Liesb –

 

 

Romulo Tesi

Jornalista carioca, criado na Penha, residente em São Paulo desde 2009 e pai da Malu. Nasci meses antes do Bumbum Paticumbum Prugurundum imperiano de Aluisio Machado, Beto Sem Braço e Rosa Magalhães, em um dia de Vasco x Flamengo, num hospital das Cinco Bocas de Olaria, pertinho da Rua Bariri e a uma caminhada do Cacique de Ramos, do outro lado da linha do trem. Por aí virei gente. E aqui é o meu, o nosso espaço para falar de samba e Carnaval.

comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Romulo Tesi

Jornalista carioca, criado na Penha, residente em São Paulo desde 2009 e pai da Malu. Nasci meses antes do Bumbum Paticumbum Prugurundum imperiano de Aluisio Machado, Beto Sem Braço e Rosa Magalhães, em um dia de Vasco x Flamengo, num hospital das Cinco Bocas de Olaria, pertinho da Rua Bariri e a uma caminhada do Cacique de Ramos, do outro lado da linha do trem. Por aí virei gente. E aqui é o meu, o nosso espaço para falar de samba e Carnaval.

Mais Categorias