Home » Mancha Verde tentou contratar Paulo Barros em 2018, conta presidente

Mancha Verde tentou contratar Paulo Barros em 2018, conta presidente

Paulo Barros, agora na Viradouro – Divulgação

A Mancha Verde já tentou a contratação de Paulo Barros. Segundo o presidente da escola, Paulo Serdan, a sondagem aconteceu após o Carnaval 2018, quando o carnavalesco defendeu a Vila Isabel. Mas o dirigente garante que a primeira opção sempre foi Jorge Freitas, que acabou contratado.

Serdan contou ao Setor 1 que a primeira tentativa de tirar Freitas do Império de Casa Verde não deu certo – o dirigente afirma ter sido informado, na apuração, pelo presidente do Império, Alexandre Furtado, que o artista permaneceria na escola. Em seguida, houve a sondagem a Barros.

A conversa com o carnavalesco não evoluiu, lembra Serdan – “ele disse que viajaria” – , e a Mancha conseguiu, enfim, acertar com Freitas. E Barros se mudou para a Viradouro.

Leia também:
Crefisa patrocina Mancha Verde com R$ 3,4 milhões
Vídeo flagra agressão de homem contra mulher em ensaio da Vai-Vai
Crefisa injeta dinheiro no Carnaval do Acesso paulista

Mestre Marcão diz que ainda tem dinheiro a receber do Salgueiro; escola vê possível irregularidade em contrato
Acesso de SP receberá mais verba que escolas do Especial do Rio
Elza Soares desfilará como destaque na Mocidade
Bateria da Mangueira prepara ‘marcha’ para trecho do samba sobre ditadura militar

“Qualquer escola gostaria de contar com o Paulo (Barros), mas o sonho sempre foi trazer o Jorge Freitas”, declarou o presidente da agremiação palmeirense ao blog, na noite deste sábado, no Anhembi, onde a escola realizou seu primeiro ensaio técnico.

Paulo Serdan, presidente da Mancha Verde, antes do ensaio técnico da escola no Anhembi – Romulo Tesi

Esta semana, em nota publicada no blog de Marina Caruso, do jornal O Globo, a jornalista Maria Fortuna afirmou que a Mancha prepara uma proposta de cerca de R$ 2 milhões a Barros, para desenvolver o desfile da escola de 2020. Questionado, Serdan negou o interesse.

“O Jorge agora só sai da Mancha quando quiser. Vamos ver o que vai acontecer”, concluiu Serdan.

Romulo Tesi

Romulo Tesi Jornalista carioca, criado na Penha, residente em São Paulo desde 2009 e pai da Malu. Nasci meses antes do Bumbum Paticumbum Prugurundum imperiano de Aluisio Machado, Beto Sem Braço e Rosa Magalhães, em um dia de Vasco x Flamengo, num hospital das Cinco Bocas de Olaria, pertinho da Rua Bariri e a uma caminhada do Cacique de Ramos, do outro lado da linha do trem. Por aí virei gente. E aqui é o meu, o nosso espaço para falar de samba e Carnaval.

3 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.