Home » Agora em escola botafoguense, Marcelo Adnet volta a vencer disputa de samba no Rio – dessa vez com título dividido

Agora em escola botafoguense, Marcelo Adnet volta a vencer disputa de samba no Rio – dessa vez com título dividido

Dudu Azevedo (à esq.) e Marcelo Adnet posam com troféu – Foto: Emerson Pereira

Marcelo Adnet terá dois sambas de sua autoria no Carnaval do Rio de Janeiro em 2020. Depois de vencer a disputa na São Clemente, do Grupo Especial, no início de outubro, o humorista também triunfou na Botafogo Samba Clube, do Grupo Especial da Intendente Magalhães – nome da via dos desfiles, na Zona Norte da cidade, equivalente à 3ª divisão.

Dessa vez, porém, o triunfo foi dividido. A agremiação, fundada por torcedores do Alvinegro carioca, decidiu por uma junção, unindo duas obras em uma. Na final desta sexta-feira, 8, a escola fundiu o samba da parceria de Adnet com a do compositor Dudu Azevedo.

Com isso, a trilha do desfile, que terá Beth Carvalho como enredo, ficou com 14 autores assinando o samba. São eles: Marcelo Adnet, Dudu Azevedo, Anderson Feife, Dudu Cantão, Ricardo Mello, Lucas Donato, Emerson Dias, Charles Silva, Thiago Diogo, Andy Lee, Victor Nascimento, Viny Machado, Amaury Martins e J L Azevedo.

Agora o samba passará por ajustes para, em seguida, ser gravado e divulgado.

A disputa teve oito obras inscritas, de compositores conhecidos do universo do Carnaval e outras personalidades de fora da “tribo” samba, como o ex-jogador Jairzinho, o “Furacão”, tricampeão mundial com a Seleção Brasileira na Copa de 1970 (ouça os outros sambas aqui).

Veja como ficou a letra e, logo abaixo, ouça os dois sambas:

“Injusto seria falar de você, Beth Carvalho. Esse é o Botafogo que eu gosto!”

Quem dera te reencontrar
E uma rosa te dar… Madrinha
Sentado na mesa de um bar
Sob a luz do luar
Nas andanças da vida…
Trouxe nas veias o samba
Herança de bamba
Ao som de notas musicais
Embaixo da tamarineira
Tem partido a noite inteira
É hora de Caciquear

É de arerê! Defende a bandeira do samba
Levanta, sacode a poeira!
Exalta o compositor
Paixão alvinegra, ninguém
cala o nosso amor

Nas andanças da vida,
Folhas secas pelo chão
Na bossa nova encontrou inspiração
Mulher, na arte rompeu barreiras
Abriu caminho pras sambistas brasileiras
Vem festejar em verde e rosa
Nosso imenso prazer
Injusto é não falar de você
Oh Beth, que cantou até o fim
Mas o que é o fim?
Se tua voz pra sempre vive em mim

Solta o grito da garganta
Deixa o coração dizer
Sou alvinegro até morrer
O Botafogo é a paixão que me seduz
Tua estrela solitária te conduz!

Samba de Dudu Azevedo e parceiros
Samba de Marcelo Adnet e parceiros

Romulo Tesi

Romulo Tesi Jornalista carioca, criado na Penha, residente em São Paulo desde 2009 e pai da Malu. Nasci meses antes do Bumbum Paticumbum Prugurundum imperiano de Aluisio Machado, Beto Sem Braço e Rosa Magalhães, em um dia de Vasco x Flamengo, num hospital das Cinco Bocas de Olaria, pertinho da Rua Bariri e a uma caminhada do Cacique de Ramos, do outro lado da linha do trem. Por aí virei gente. E aqui é o meu, o nosso espaço para falar de samba e Carnaval.

Adicionar comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.