Home » Prefeito de Salvador prevê Carnaval no meio de 2021 e tenta articulação com Rio e São Paulo

Prefeito de Salvador prevê Carnaval no meio de 2021 e tenta articulação com Rio e São Paulo

Prefeito de Salvador, ACM Neto – Reprodução/Instagram

O prefeito de Salvador, ACM Neto, vai propor o adiamento do Carnaval de 2021 se a pandemia de coronavírus continuar representando riscos até novembro. Segundo Neto, a festa só vai acontecer em fevereiro caso haja vacina e garantia de imunidade coletiva.

“Vamos ter que tomar uma decisão ainda esse ano. Não dá para deixar esse assunto correr por muito tempo. Temos que decidir até novembro se o Carnaval vai acontecer. A gente não vai permitir que a festa aconteça sem segurança completa para a população. A menos que haja uma vacina e a garantia de imunidade coletiva, dificilmente o Carnaval será mantido para fevereiro de 2021”, declarou Neto em entrevista ao Datena, na Rádio Bandeirantes, nesta terça-feira, 14.

Na hipótese de adiamento, os dias de folia em Salvador devem ficar para mais perto do meio do ano, no final de maio ou começo de junho.

O prefeito defende que a decisão seja conjunta com outras cidades que também têm grandes carnavais, como Rio de Janeiro e São Paulo. Segundo Neto, as conversas já começaram.

Ivete Sangalo no desfile da Grande Rio de 2017 – Fat Press/Liesa

“Caso não tenhamos uma vacina ou uma segurança de imunidade coletiva até novembro, o que propus é que Salvador, São Paulo, Rio de Janeiro e outas cidades com tradição no Carnaval se juntassem para definir um adiamento conjunto para pensar numa data talvez entre fim de maio e início de junho”, prevê.

“Ontem recebi um telefonam do [prefeito de São Paulo] Bruno Covas mostrando o seu interesse em participar dessa discussão. Vamos falar com o prefeito do Rio [Marcelo Crivella] e outras cidades”, completou ACM Neto.

O prefeito de Salvador ainda ressaltou a importância do Carnaval além do campo cultual. Somente na capital baiana, a festa movimentou R$ 1,25 bilhão em 2020, de acordo com dados oficiais.

Mais:
Opinião: Talvez seja a hora de ouvir os baianos

“Se as principais cidades do Brasil puderem se juntar para propor um calendário conjunto, isso fica muito bom para todos esses lugares que tem tradição e que o Carnaval não é apenas um elemento de festa, é um elemento importante da encomia e geração de empregos”, concluiu.

Nesta terça, representantes das escolas de samba do Grupo Especial do Rio se reunirão na Liesa para começar a debater a questão. Segundo O Globo, pelo menos cinco agremiações são a favor do adiamento, caso não haja vacina: Mangueira, Imperatriz Leopoldinense, Vila Isabel, Beija-Flor e São Clemente. A data de um eventual desfile fora de época ainda seria decidida, inclusive um possível cancelamento, com a festa retornando somente em 2022.

Assista à entrevista: https://youtu.be/t7TFIOw2Ux4?t=5609

Romulo Tesi

Romulo Tesi Jornalista carioca, criado na Penha, residente em São Paulo desde 2009 e pai da Malu. Nasci meses antes do Bumbum Paticumbum Prugurundum imperiano de Aluisio Machado, Beto Sem Braço e Rosa Magalhães, em um dia de Vasco x Flamengo, num hospital das Cinco Bocas de Olaria, pertinho da Rua Bariri e a uma caminhada do Cacique de Ramos, do outro lado da linha do trem. Por aí virei gente. E aqui é o meu, o nosso espaço para falar de samba e Carnaval.

1 comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • Mas deveria ser considerada uma data fora dos meses de Inverno. Julho é inverno! Faz Frio! Tem que se pensar nisto pelo amor de Deus. O ideal seria uma data mais próxima de Fevereiro, acredito que em Abril seria o melhor. Maio Junho e Julho chove muito em Salvador, muito mesmo. Julho faz muito frio em São Paulo. Carnaval no inverno não será a mesma coisa. ABRIL seria melhor.