Setor 1

Samba de Marcelo Adnet vence disputa na São Clemente3 min read

Marcelo Adnet – Divulgação/TV Globo

O samba-enredo da parceria do humorista Marcelo Adnet venceu a disputa na São Clemente e será a trilha do desfile da escola em 2020. A final aconteceu na madrugada deste domingo, 6, na quadra da agremiação, e contou com outras duas obras.

O resultado confirmou o favoritismo do samba, que tem referências às denúncias sobre funcionários laranjas em gabinetes de políticos, suspeita que chegou a recair sobre os Bolsonaros.

Na apresentação na final, Adnet subiu ao palco e cantou o samba com os demais intérpretes Marquinho Art’Samba, Nêgo e Emerson Dias.

Mais:
Saiba quando cai o Carnaval em 2020
Vote e ajude a eleger os melhores sambas da década
22 anos após chuva de latinhas, Rock in Rio virou enredo no Carnaval

Veja a ordem dos desfiles em 2020

O enredo da escola para o próximo Carnaval é “O Conto do Vigário”.

No desfile, a escola de Botafogo partirá da história de um vigário de Ouro Preto (MG), do século 18, que trapaceou para vencer a disputa por uma imagem de uma santa com outra paróquia, para falar das trapaças da atualidade. Mais: como o brasileiro se deixou ser enganado pelas histórias mais fantasiosas e mirabolantes, hoje espalhadas nas redes sociais como fake news.

Família musical

Ainda que Marcelo não seja (ainda) um bamba, os Adnet são o que se pode chamar de uma família musical. A começar pelo próprio, autor das dezenas de paródias apresentadas desde os tempos de MTV.

O humorista é filho de Chico Adnet, compositor de jingles publicitários e que lançou seu primeiro álbum em 2011, com a participação do filho, então estrela do Comédia MTV.

Completam a família de músicos as tias Maucha e Muiza, cantoras, e o tio Mário, violinista, compositor, arranjador e produtor. Ele assina, com o saxofonista Zé Nogueira, o projeto “Ouro Negro”, que regravou a obra do maestro Moacir Santos após longo trabalho de pesquisa.

Veja a letra:

São Clemente 2020
Samba concorrente
Enredo: O Conto do Vigário

Compositores:
Marcelo Adnet
André Carvalho
Pedro Machado
Gustavo Albuquerque
Gabriel Machado
Camilo Jorge
Luiz Carlos França
Raphael Candela

O sino toca na capela e anuncia
Nossa Senhora começou a confusão!
Quem vai ficar com a imagem de Maria?
O burro vai tomar a decisão

Mas o jogo estava armado
Era o Conto do Vigário
Nessa terra fértil de enredo
Se aprende desde cedo
Todo papo que se planta dá
Dom João deu uma volta em Napoleão,
Fez da colônia dos malandros capital
Trambique, patrimônio nacional

Tem laranja!
“Na minha mão, uma é três e três é dez!”
É o bilhete premiado vendido na rua
Malandro passando terreno na lua!

Hoje, o vigário de gravata
Abençoa a mamata,
Lobo em pele de cordeiro
“Trago em três dias seu amor”
“La garantia soy yo!”
“Só trabalho com dinheiro”
Chamou o VAR, tá grampeado,
Vazou, deu sururu,
Tem marajá puxando férias em Bangu!

Balança na rede
Abre a janela, aperta o coração
O filtro é fantasia da beleza
Na virtual roleta da desilusão

Brasil, compartilhou, viralizou, nem viu!
E o país inteiro assim sambou
“Caiu na fake news!”

Meu povo chegou ôô!
A maré vai virar, laiá!
Na ginga, pra frente, lá vem São Clemente
Sem medo de acreditar!

Romulo Tesi

Romulo Tesi

Romulo Tesi Jornalista carioca, criado na Penha, residente em São Paulo desde 2009 e pai da Malu. Nasci meses antes do Bumbum Paticumbum Prugurundum imperiano de Aluisio Machado, Beto Sem Braço e Rosa Magalhães, em um dia de Vasco x Flamengo, num hospital das Cinco Bocas de Olaria, pertinho da Rua Bariri e a uma caminhada do Cacique de Ramos, do outro lado da linha do trem. Por aí virei gente. E aqui é o meu, o nosso espaço para falar de samba e Carnaval.

comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • Tenho uma impressão de que será rebaixada novamente devido ao samba pobre que implicará em pouca criatividade tanto em seus carro alegoricos quanto em fantasia.

  • Colocar um “samba” de um comediante para representar uma escola de samba é implorar por rebaixamento. A escola estava se aguentando no grupo especial, mas foi querer cair no oba-oba político, vai tomar uma surra pra ser lembrada por resto de seus desfiles.

Romulo Tesi

Romulo Tesi

Romulo Tesi Jornalista carioca, criado na Penha, residente em São Paulo desde 2009 e pai da Malu. Nasci meses antes do Bumbum Paticumbum Prugurundum imperiano de Aluisio Machado, Beto Sem Braço e Rosa Magalhães, em um dia de Vasco x Flamengo, num hospital das Cinco Bocas de Olaria, pertinho da Rua Bariri e a uma caminhada do Cacique de Ramos, do outro lado da linha do trem. Por aí virei gente. E aqui é o meu, o nosso espaço para falar de samba e Carnaval.