Home » Tuitaço pede Carnaval sem verba pública; defensores citam retorno bilionário

Tuitaço pede Carnaval sem verba pública; defensores citam retorno bilionário

Tatuapé em 2018 – Foto: Liga SP

Na noite da última segunda-feira, um tuitaço – campanha para publicação de posts em larga escala no Twitter – pedia que as autoridades não repassassem dinheiro para o Carnaval. Os apoiadores usaram a hashtag #carnavalsemdinheiropublico.

O principal alvo foi o prefeito de São Paulo, Bruno Covas. A cidade anunciou, somente para os desfiles das escolas de samba de 2019, R$ 25,6 milhões.

Em seguida, outros perfis passaram a cobrar também o governo Bolsonaro, usando inclusive uma falsa declaração do ministro da Economia, Paulo Guedes, de que a verba para as escolas de samba seria cortada. No entanto, não há previsão de repasse direto de recursos federais para as agremiações – a não ser de forma indireta, como no caso da Lei Rouanet.

Leia também:
Federação Israelita de SP repudia Hitler da Águia de Ouro
Acesso de SP receberá mais verba que escolas do Especial do Rio

Portela supera Mangueira por um décimo e vence Ranking Setor 1 dos sambas de 2019
Sossego recua e nega que escultura de diabo represente Crivella
Viúva de Marielle desfilará na Mangueira: ‘vai ter Carnaval, amor, resistência e luta’
Escola de samba de SP terá ala com tucano policial ‘que não gosta de professor’
Bateria da Mangueira prepara ‘marcha’ para trecho do samba sobre ditadura militar

Resposta

Houve também quem reagisse contra o tuitaço. Alguns perfis lembraram a importância cultural e econômica da festa, citando, por exemplo, os empregos gerados e os R$ 3 bilhões movimentados pela folia em 2019 somente no Rio de Janeiro. As escolas que desfilam na cidade, inclusive, enfrentam sofreram dois cortes seguidos de verba da prefeitura desde a posse de Marcelo Crivella.

Romulo Tesi

Romulo Tesi Jornalista carioca, criado na Penha, residente em São Paulo desde 2009 e pai da Malu. Nasci meses antes do Bumbum Paticumbum Prugurundum imperiano de Aluisio Machado, Beto Sem Braço e Rosa Magalhães, em um dia de Vasco x Flamengo, num hospital das Cinco Bocas de Olaria, pertinho da Rua Bariri e a uma caminhada do Cacique de Ramos, do outro lado da linha do trem. Por aí virei gente. E aqui é o meu, o nosso espaço para falar de samba e Carnaval.

2 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.