Setor 1

Virou a mesa: Grande Rio e Império escapam do rebaixamento

Grande Rio 2018 – Fernando Grilli/Riotur

O que já era dado como certo acabou se confirmando na noite desta quarta-feira. As escolas de samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro se reuniram na Liesa e decidiram, após plenária, descumprir o regulamento, cancelar os rebaixamentos e manter Grande Rio e Império Serrano na principal divisão do Carnaval carioca. Não houve unanimidade entre os dirigentes, e pelo menos duas foram contra: Portela e Mangueira.

A agremiação de Duque de Caxias, 12ª e penúltima colocada este ano, deveria ser rebaixada para a Série A em 2019, junto do Império Serrano, a última. Mas, com a decisão, as duas foram salvas. Isso após um Carnaval saudado pelos enredos engajados, inclusive da campeã Beija-Flor, cujo enredo fazia uma dura crítica à corrupção generalizada no Brasil.

Leia também:
Grande Rio é comparada ao Fluminense; veja como a internet reagiu à virada de mesa
Grande Rio comemora permanência no Grupo Especial após virada de mesa
Em ano eleitoral, tapetão na Liesa teve participação de quatro políticos

Já se sabia que, no pleito para tentar evitar a queda, a Grande Rio contava com pelo menos dois nomes de peso no apoio: os presidentes da Unidos da Tijuca, Fernando Horta, e do Salgueiro, Regina Celi.

Nos bastidores, a política atuou forte. O prefeito de Duque de Caxias, Washington Reis (MDB), agiu para influenciar a decisão, tanto que foi publicamente exaltado pelos dirigentes da Grande Rio. Na última hora, até o prefeito do Rio, Marcelo Crivella, entrou em cena a favor das duas agremiações, enviando um ofício à Liesa com um “nada a opor” à virada de mesa. Na carta, Crivella afirma ter recebido pedidos de Reis e do governador do Rio, Luiz Fernando Pezão.

Com isso, o Grupo Especial do Rio voltará a ter 14 escolas, já contando com a Viradouro, campeã da Série A – a última vez que teve esse número de participantes foi em 2006. Na ocasião, Caprichosos de Pilares e Acadêmicos da Rocinha, 13ª e 14ª colocadas, respectivamente, foram rebaixadas. A Vila Isabel foi a campeã.

No entanto, a ideia inicial é desinchar o grupo nos dois anos seguintes, voltando ao número de 12 em 2021. Até lá, porém, muita coisa pode mudar.

Juliana Paes na Grande Rio em 2018 – Foto: Gabriel Nascimento/Riotur

O presidente da Liesa, Jorge Castanheira, admitiu que a entidade atendeu a um “pedido do poder público”, mas não escondeu o desconforto.

“Que seja a última (decisão) de modificar o regulamento, porque isso é muito desgastante para as escolas”, declarou Castanheira ao site Sambarazzo após a plenária.

Notas em Alegorias

As reclamações da Grande Rio aos representantes da Liesa começaram após a apuração da Quarta-Feira de Cinzas. A escola vem desde então na bronca com as notas em Alegorias e Adereços.

A Grande Rio recebeu 9.9, 9.8, 9.8 e 9.9 no quesito, perdendo quatro décimos, já contando com o descarte da menor nota. Mesmo que as justificativas ainda não tenham sido divulgadas, a agremiação entende que os jurados tiraram pontos por causa do carro que quebrou na concentração e não desfilou. O problema causou o estouro de cinco minutos no tempo limite de apresentação, que resultou numa penalização de cinco décimos.

No entanto, o Manual do Julgador não determina que o jurado de Alegorias e Adereços leve em consideração o número de carros previstos ou a ordem de apresentação – isso cabe ao avaliador de Enredo.

Leia também:
Arlindo Cruz será enredo de escola paulista em 2019
Jack Vasconcelos renova com a Paraíso do Tuiuti
Diretor da Tuiuti nega censura de Temer à escola

Nova virada

Com o salvamento de Grande Rio e Império Serrano, o Rio acumula dois Carnavais consecutivos com viradas de mesa. Em 2017, após os acidentes com Paraíso do Tuiuti e Unidos da Tijuca, os representantes das escolas se reuniram antes da apuração e decidiram cancelar o rebaixamento. Havia a expectativa que a escola tijucana caísse, por conta do desfile caótico. No entanto, as notas revelaram que a Tuiuti foi a pior colocada. Sem descenso, o Grupo Especial acabou contando com 13 agremiações em 2018.

Romulo Tesi

Jornalista carioca, criado na Penha, residente em São Paulo desde 2009 e pai da Malu. Nasci meses antes do Bumbum Paticumbum Prugurundum imperiano de Aluisio Machado, Beto Sem Braço e Rosa Magalhães, em um dia de Vasco x Flamengo, num hospital das Cinco Bocas de Olaria, pertinho da Rua Bariri e a uma caminhada do Cacique de Ramos, do outro lado da linha do trem. Por aí virei gente. E aqui é o meu, o nosso espaço para falar de samba e Carnaval.

comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • Que palhaçada! Salve o Carnaval de São Paulo. Lá existe organização e respeito a quem assiste, a quem julga e principalmente respeito ás regras da competição.

  • Um exemplo de que neste país ninguém quer cumprir regra alguma. Nem as que o próprio transgressor estabeleceu. Depois reclamam da bagunça, das leis, dos governantes, etc..

  • Lamentável como se lidam com o Carnaval do Rio. Tantas escolas então foram tão injustiçada. Mas algumas não tem a proteção da cúpula…vexame …
    credibilidade do Carnaval…zero!!!!

  • Assim ñ tem graça virou bagunça, dessa forma de virada de mesa o carnaval do RJ vai perder sua credibilidade…se cai uma escola grande em 2019 tenho certeza que vamos ter uma virada de mesa em 2020 assim sucessivamente…nota 0 para LIESA e o carnaval do RJ vcs ñ tem regras virou bagunça.

  • Carnaval do Rio de Janeiro morreu. A liga é corrupta da mesma forma que os políticos. Só resta saber quem correu com a mala.
    São Paulo superou o Carnaval carioca, pelo menos na honestidade.
    Como assim nenhuma escola cai?

    • Sou contra essa vergonha de virada de mesa, mas falar que o Império serrano é uma escola pequena? Pode procurar a historia dele de 1947 pra cá. Uma das mais tradicionais do RJ, só vem sendo mal administrada.

  • O Rio de Janeiro se perdeu na desonestidade e na pouca vergonha. Depois desse resultado não mais assistirei ou me informarei sobre desfiles de Escolas de Samba. Sei que muitos dirão que minha decisão não tem força, por ser apenas eu! Mas não sou gado para aceitar algo tão ordinário como isso.

  • Realmente virou uma bagunça! Perdeu a credibilidade! E se em 2019 acontecer algum problema com a Beija-Flor, Mangueira, Portela e Salgueiro, teremos 16 escolas desfilando em 2020?

  • Aí essas mesmas escolas que votaram a favor da virada de mesa, reclamarão ano que vem que a subvenção estará menor que em 2018, que a Globo não transmite ao vivo a primeira escola, que está difícil apoio da iniciativa privada…

  • ABRINDO PRECEDENTE PARA TODAS TER DIREITO A CAIR PELO MENOS UMA VEZ SEM CUMPRIR. REALMENTE ACHAM QUE VAI PARAR POR AÍ? ENREDOS FALANDO DE CORRUPÇÃO E INJUSTIÇA E ACONTECE ISSO. FEIO LIESA.

  • Isso é uma pouca vergonha. E ainda levam em consideraçao carta do pilantra do crivela o mesmo que tentou acabar com o carnaval….,pra que coloca jurados nesse lixo que virou o carnaval do rio?

  • O Rio de Janeiro é uma vergonha, em todos os quesitos! Salve Sacanagem e Viradas da Mesa! Como diria o poeta Renato Russo “Vamos celebrar a estupidez…”

  • Realmente esse Liesa esta parecendo a cupula brasiliense…Estacio de Sá fez 1 carnaval expetacular em 2016 e foi rebaixada d uma forma injusta pq a escola estava 1000x mais linda do que a escola campeã do mesmo ano q foi a Mangueira…olha q eu sou Mangueirense.

  • Contextualme todos estão certos e errados. O que temos que entender é que a regra do carro quebrado tem que acabar pra começar,carro alegórico quebra inviabilizando o desfile da Escola e por isso ninguém cai. Alegoria quebrou? Quebrou por ter sido mal feita,por isso as Escolas que tiverem problemas com alegorias devem sim serem penalizadas;pois as vezes quando quebram ferem e matam pessoas. E quebra de alegoria infelizmente faz parte do carnaval. Porém tem que haver penalização sim! E se o desfile ficar prejudicado pela quebra e a ou as Escolas amargarem as posições do rebaixamento devem sim serem rebaixadas.

  • Estou envergonhado com essa palhaçada sou Eu sou carioca eu pensava que no samba tivesse diguinidade mais nao tem voçes estão matando o carnaval carioca tinha que sair toda a diretoria da Liesa porque eles nao tem
    mais credibilidade eu quero ver a cara do Castanheira vim a pulblico e falar porque as escolas nao cairam uma vergonha para o mundo do samba.

  • Engraçado dona beija flor é tuiti que vieram pra avenida com seus enredo corretamente correto participaram dessa vergonha, se a grande rio não desfilou bem recebeu as notas certas é foi rebaixada é igual no futebol um time com dinheiro paga para outro escala jogador irregular pra ele se safar com não fazer no carnaval vamos virar a mesa, mais ano que vem as pessoas que vão ver desfile deveriam vira de costa pra grande rio o que adianta fazer intervenção se as próprias instituições fazem uma vergonha dessas.

  • Quando o país passa por um processo que tenta acabar com a corrupção, as maracutais e manobras ilicitas, a Liesa vem e da esse tremenda bola fora.

  • Acho que já passou da hora de planejar um Carnaval maior. Mais escolas, mais dias, mais eventos, mais grupos.
    O número de blocos explodiu, porque as escolas tem que ficar tão contidas.
    O samba, diamante do povo, brilha, se multiplica e explode em nossos corações a cada ano. O resto, é só monstro.

  • Acho que já passou da hora de planejar um Carnaval maior. Mais escolas, mais dias, mais eventos, mais grupos. O número de blocos explodiu, porque as escolas tem que ficar tão contidas. O samba, diamante do povo, brilha, se multiplica e explode em nossos corações a cada ano. O resto, é só monstro.

  • Vergonha , sou Império Serrano e ficaria muito feliz se a presidência da Escola não aceitasse desfilar no Grupo Especial que preferisse subir desfilando no Grupo de Acesso.
    Agora que o País esta tentando mudar , prender os corruptos a minha grande paixão O SAMBA me da esta rasteira
    VERGONHA , VERGONHA LIGA SEM VERGONHA

    • “tentando” mudar né? Pq o que vejo, na verdade é um mote de gente fingindo mudar seus hábitos para sair bonito nas redes sociais e ganhar likes, pq mudar não precisa ficar anunciando por ai, pq quem faz mesmo as coisas, faz calado.
      A hipocrisia no Brasil reina.

  • Uma vergonha. Como no ano passado. Errou tem q pagar pelo erro. Agora é simples quando ver q a escola vem mal. Quebre um carro e tá tudo certo

  • Carnaval perde credibilidade! ja nao estamos com moral! Escolas que só ocupam tempo e espaço com péssimo desfile e nunca vão cair é só gritar p os padrinhos ! Com isso é realmente o caminho para o fim do carnaval!! É CLARO QUE A MUMIA FEZ A CARTA !! CAMINHAMOS A PASSOS LARGOS PARA O FIM DO CARNAVAL. AGORA SEM CREDIBILIDADE ALGUMA IMPERIO E GRADE RIO VCS AJYDARAM PARA ESTE FIM!

  • A sacanagem foi ano passado a Tijuca e Tuiuti eram pra cair e Império é a escola que tem mais tradição quando ganhava era por méritos e não com roubos igual a muitas ai infelizmente não tem boa administração atualmente e aqui é Brasil país da sacanagem e do jeitinho Império a nobreza em carnavais .

  • escola ridicula jorge castanheiras e LIESA voces acabaram com o carnaval do Rio de Janeiro reralmente as celebridades GLOBAIS nao podem desfilar no grupo de acesso la nao tem tantos HOLOFOTES juliana paes tu e ridicula hipocrita quando a viradouro caiui voce nao foi mais rainha escola ridicula que nao da valor nenhum aCOMUNIDADE ca

    • escola PODRE que nao da valor nenhum a COMUNIDADE as celebridades nao podem desfilar no grupo de ACESSOI REDE GLOBO PARABENS beija flor e TUITI PAREM DE SER HIPOCRITRAS E facam enredo que falem quem voces sao HIPOCRITAS

  • Pessoalmente, até prefiro 14 escolas no Especial, 7 em cada dia, noite mais longa, problema da TV… Mas claro que a virada de mesa não tem muito cabimento, o Império se salvou a reboque da força da Grande Rio… Em 1988 a Imperatriz já foi salva, também, e no ano seguinte ainda faturou o caneco… Agora, se tivesse um pingo de dignidade, esse presidente da LIESA entregava o cargo… tremendo papinho furado, “atendendo a pedido do poder público”… peixe é peixe…

  • Desfilar pra que? Se a escola não soube se organizar para colocar um carro que coubesse na avenida, nem um chassi que aguentasse o peso da alegoria, o problema é da organização da escola. Mas se fosse alguma da Série A recém-alçada ao Grupo Especial, duvido que acontecesse a mesma coisa. O negócio é fazer um carnaval meia boca, não que o da Grande Rio estivesse ruim, e quebrar carro ou atropelar pessoas para não ser rebaixada e receber os mesmos incentivos das outras agremiações. Não bastasse a política, agora o carnaval que era coisa séria no Brasil também virou jogo de poder. VERGONHA!

Romulo Tesi

Jornalista carioca, criado na Penha, residente em São Paulo desde 2009 e pai da Malu. Nasci meses antes do Bumbum Paticumbum Prugurundum imperiano de Aluisio Machado, Beto Sem Braço e Rosa Magalhães, em um dia de Vasco x Flamengo, num hospital das Cinco Bocas de Olaria, pertinho da Rua Bariri e a uma caminhada do Cacique de Ramos, do outro lado da linha do trem. Por aí virei gente. E aqui é o meu, o nosso espaço para falar de samba e Carnaval.

Mais Categorias