Portela promove exposição sobre a comida no samba

Portela
Romulo Tesi
Escrito por Romulo Tesi

Fazer samba de barriga vazia deve ser difícil. Por isso que a comida tem papel fundamental no gênero, parte importante do ritual de reunir gente bamba para festejar. Inclusive muitas escolas nasceram entre quitutes e biricuticos. Para explicar a importância do comer para o samba, a Portela inaugura no próximo dia 20 a exposição “Os Sabores da Portela”.

Segundo a escola, a exposição “propõe um resgate da representatividade das tias baianas, destacando cinco mulheres e um homem portelense que mantiveram esse ritual de celebração, mesclando a comida e a sociabilidade de maneira única”.

No caso portelense, são célebres o feijão da Vicentina (foto), imortalizado por Paulinho da Viola, a galinha ao molho pardo da Tia Eunice e a feijoada da Tia Surica. Mas tem muito mais.

“Trata-se da quarta parte da homenagem que estamos fazendo ao centenário do samba. As três primeiras abordaram a música, a indumentária e a dança”, explica o diretor cultural da Portela, Rogério Rodrigues. Pesquisa, textos e a produção da mostra ficaram a cargo de Maria Lúcia Silva e Walter Pereira.

Vai lá:

EXPOSIÇÃO OS SABORES DA PORTELA

Abertura: 20/5, durante o Portela de Asas Abertas
Local: Rua Clara Nunes, 81

Mais informações aqui.

Sobre o autor

Romulo Tesi

Romulo Tesi

Jornalista carioca, criado na Penha, residente em São Paulo desde 2009 e pai da Malu. Nasci meses antes do Bumbum Paticumbum Prugurundum imperiano de Rosa Magalhães, em um dia de Vasco x Flamengo, num hospital das Cinco Bocas de Olaria, pertinho da Rua Bariri e a uma caminhada do Cacique de Ramos, do outro lado da linha do trem. Por aí virei gente. E aqui é o meu, o nosso espaço para falar de samba e Carnaval.

1 Comentário

Deixe o seu comentário