Setor 1

“Jamais uma homenagem pode ser paga”, diz presidente da Dragões sobre enredo para Joãosinho Trinta

A Dragões da Real trabalhava com a ideia de levar para o Anhembi o enredo sobre Joãosinho Trinta, mas desistiu. Isso depois que a família do carnavalesco, que morreu em 2011, pediu dinheiro para que a escola fizesse a homenagem, conforme noticiou a coluna “Gente Boa”, do jornal O Globo.

Ao Setor 1, o presidente da Dragões, Renato Remondini, confirmou que o enredo estava entre as sete possibilidades da escola, e lamentou o rumo que as negociações tomaram.

“Jamais uma homenagem pode ser paga”, diz Remondini.

Leia também:
Indiciamentos, pista como palco, simulações de acidentes: o que já foi anunciado
Peruche fá homenagem a Martinho da Vila

Segundo o dirigente, não houve negociação direta da escola com a família de Joãosinho, de São Luís (MA). Tudo foi tocado pelas pessoas que sugeriram o enredo a escola.

“O tema nos agrada e vai continuar agradando, mas nesse momento, com essa situação de solicitação de dinheiro, não concordamos”, declara. O presidente afirma que os responsáveis por negociar o enredo revelaram mais um problema: a família do carnavalesco teria sido contra também por questões religiosas.

A situação não é totalmente nova para a Dragões. Para o Carnaval de 2017, no enredo sobre “Asa Branca”, a escola buscou a editora que detém os direitos da música de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira. Chegaram a um acordo e a agremiação pagou o que a lei exigia, “para evitar um desgaste no futuro”, conta. A agremiação faturou o vice-campeonato.

“No caso da musica, há os direitos autorais. Mas se você vai homenagear uma personalidade, você vai pagar por isso? Não faz sentido. A família tinha que se sentir lisonjeada”, lamenta.

Dragões da Real em 2017 – Leonardo Benassatto/Framephoto/Estadão Conteúdo

Enredo definido

Remondini diz que o enredo nunca foi prioridade. “Recebemos mais de 100 propostas de enredos. Coisas estapafúrdias e coisas maravilhosas. Joãosinho estava entre as maravilhosas, mas não deu certo e fomos atrás de outras coisas”, afirma o dirigente.

O presidente diz que a escola, inclusive, já definiu o enredo, que será divulgado no dia 10 de junho, em feijoada na sede da agremiação. Ele só adianta que não será um desfile patrocinado – e nem uma homenagem.

“Optamos por outra linha de enredo. Como o Carnaval de São Paulo terá muitas homenagens a personalidades (em 2018), a gente entendeu por bem seguir outro rumo para não ficar repetitivo”, explicou.

Memória

Joãosinho Trinta já foi enredo no Carnaval do Rio. Em 1990, a União da Ilha ficou em 7º lugar com “Sonhar com rei dá João”. O título remete ao “Sonhar com rei dá leão”, assinado por Joãosinho na Beija-Flor campeã de 1976.

Ouça abaixo o samba da União da Ilha de 1990:

Romulo Tesi

Romulo Tesi

Romulo Tesi Jornalista carioca, criado na Penha, residente em São Paulo desde 2009 e pai da Malu. Nasci meses antes do Bumbum Paticumbum Prugurundum imperiano de Aluisio Machado, Beto Sem Braço e Rosa Magalhães, em um dia de Vasco x Flamengo, num hospital das Cinco Bocas de Olaria, pertinho da Rua Bariri e a uma caminhada do Cacique de Ramos, do outro lado da linha do trem. Por aí virei gente. E aqui é o meu, o nosso espaço para falar de samba e Carnaval.

Adicionar comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Romulo Tesi

Romulo Tesi

Romulo Tesi Jornalista carioca, criado na Penha, residente em São Paulo desde 2009 e pai da Malu. Nasci meses antes do Bumbum Paticumbum Prugurundum imperiano de Aluisio Machado, Beto Sem Braço e Rosa Magalhães, em um dia de Vasco x Flamengo, num hospital das Cinco Bocas de Olaria, pertinho da Rua Bariri e a uma caminhada do Cacique de Ramos, do outro lado da linha do trem. Por aí virei gente. E aqui é o meu, o nosso espaço para falar de samba e Carnaval.

Carnaval 2020 | FALTAM

Mais Categorias