Setor 1

Lei Rouanet: Liesa capta R$ 600 mil para ensaios técnicos

Ensaio técnico da Mangueira – Alexandre Macieira/Riotur

A Liesa conseguiu captar R$ 600 mil via Lei Rouanet para a realização dos ensaios técnicos das escolas de samba para 2019.

A informação consta no sistema do Ministério da Cultura. A empresa incentivadora é a Latasa – Latas de Alumínio S/A, do ramo de reciclagem.

No total, a entidade obteve a aprovação para captar R$ 5.494.788 junto a patrocinadores, mediante renúncia fiscal.

Leia também:
Acesso de SP receberá mais verba que escolas do Especial do Rio
Bateria da Mangueira prepara ‘marcha’ para trecho do samba sobre ditadura militar
Prefeitura do Rio fará nova convocação para empresas interessadas em tour de experiência no Sambódromo
Decreto de Crivella pode acabar com foguetório nos desfiles das escolas de samba

Segundo o site Carnavalesco, a atual campeã Beija-Flor fará o teste de luz e som no Sambódromo, mas a Liesa já tem uma agenda pronta para os ensaios de todas as escolas, caso consiga viabilizar as apresentações.

Não é possível afirmar se esses R$ 600 mil são suficientes. Dependendo do modelo de projeto, a Liesa precisaria captar pelo menos 20%, 1/12 ou 1/24 do total aprovado para iniciar a movimentação dos recursos. A Liesa já afirmou em outras ocasiões que são necessários cerca de R$ 3,5 milhões para a viabilização dos ensaios.

Romulo Tesi

Jornalista carioca, criado na Penha, residente em São Paulo desde 2009 e pai da Malu. Nasci meses antes do Bumbum Paticumbum Prugurundum imperiano de Aluisio Machado, Beto Sem Braço e Rosa Magalhães, em um dia de Vasco x Flamengo, num hospital das Cinco Bocas de Olaria, pertinho da Rua Bariri e a uma caminhada do Cacique de Ramos, do outro lado da linha do trem. Por aí virei gente. E aqui é o meu, o nosso espaço para falar de samba e Carnaval.

Adicionar comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Romulo Tesi

Jornalista carioca, criado na Penha, residente em São Paulo desde 2009 e pai da Malu. Nasci meses antes do Bumbum Paticumbum Prugurundum imperiano de Aluisio Machado, Beto Sem Braço e Rosa Magalhães, em um dia de Vasco x Flamengo, num hospital das Cinco Bocas de Olaria, pertinho da Rua Bariri e a uma caminhada do Cacique de Ramos, do outro lado da linha do trem. Por aí virei gente. E aqui é o meu, o nosso espaço para falar de samba e Carnaval.

Mais Categorias