Home » Rosas: ala formada por deficientes representará romeiros de Aparecida

Rosas: ala formada por deficientes representará romeiros de Aparecida

Rosas de Ouro/Divulgação

No ano em que completa 10 anos de criação, a Ala Inclusiva da Rosas de Ouro ganhará uma missão especial no desfile da escola em 2018.

O grupo, formado por cerca de 140 pessoas com algum tipo de deficiência ou limitação de locomoção, virá no primeiro setor da escola, logo atrás do carro abre-alas, representando os romeiros que viajam à cidade de Aparecida (SP) para pagar promessas.

À frente da ala, a coordenadora da ala, Vanessa Dias, virá sobre um tripé, como Nossa Senhora Aparecida, numa representação do andor da santa.

O enredo da escola para 2018, “Pelas estradas da vida, sonhos e aventuras de um herói brasileiro”, é sobre o universo dos caminhoneiros, que têm Nossa Senhora Aparecida como padroeira. Foi desenvolvido pelo carnavalesco André Machado.

A Rosas de Ouro será a sexta e penúltima agremiação a desfilar na sexta-feira de Carnaval (9), primeiro dia de apresentações do Grupo Especial.

Em 2017, a escola ficou na 5ª colocação com o enredo “Convivium. Sente-se à mesa e saboreie”, sobre os banquetes.

Vanessa Dias, coordenadora da Ala Inclusiva da Rosas de Ouro, como Nossa Senhora Aparecida – Foto: Divulgação/Rosas de Ouro

Romulo Tesi

Romulo Tesi Jornalista carioca, criado na Penha, residente em São Paulo desde 2009 e pai da Malu. Nasci meses antes do Bumbum Paticumbum Prugurundum imperiano de Aluisio Machado, Beto Sem Braço e Rosa Magalhães, em um dia de Vasco x Flamengo, num hospital das Cinco Bocas de Olaria, pertinho da Rua Bariri e a uma caminhada do Cacique de Ramos, do outro lado da linha do trem. Por aí virei gente. E aqui é o meu, o nosso espaço para falar de samba e Carnaval.

Adicionar comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.