Carnaval SP: Doria sinaliza redução de verba da prefeitura, mas garante recursos: ‘em vez de ser público, ser privado’

Grupo Especial - São Paulo

Tatuapé 2017 – Suamy Beydoun/Estadão Conteúdo

Depois do Carnaval do Rio de Janeiro sofrer diminuição de verba da Prefeitura, São Paulo pode passar por corte, ao menos parcial. Nesta terça-feira, durante encontro da Frente Nacional de Prefeitos na capital paulista, o chefe do executivo paulistano, João Doria, disse que pode haver redução dos repasses oficiais para as escolas de samba da cidade, mesmo sem especificar quando. Mas garantiu que não vai faltar dinheiro para as agremiações, mesmo que seja da iniciativa privada, e que vai tentar arrecadar verba com as empresas.

“Às escolas de samba e à Liga (SP) não faltará o recurso estimado e previsto. Pode mudar o carimbo: em vez de ser público, ser privado. Mas recurso não vai faltar”, declarou Doria.

No Carnaval de 2017, foi repassado R$ 1.181.546,88 pela Prefeitura de São Paulo para cada escola, segundo dados da SPTuris. Este valor, multiplicado por 14 agremiações, resulta em um gasto de pouco mais de R$ 16,5 milhões. A ideia é que parte desse valor seja coberto pelas empresas.

“Vamos fazer um trabalho ainda mais intenso com o setor privado. Vamos suplementar os recursos que a prefeitura tiver a necessidade de reduzir com o investimento privado”, afirmou. “Haverá uma redução do investimento público e um aumento do investimento privado, para equalizar e garantir a realização do carnaval”, continuou.

Doria destacou a importância do Carnaval como atividade cultural, de lazer e turística. “Gera receita para a cidade”, disse.

Leia também:
Presidente de escola se desculpa por ter apoiado Crivella nas eleições
Eduardo Paes critica corte de verba e cutuca Crivella
Presidente da Riotur diz que polêmica é favorável e revela mais cortes
Site fala em ‘profecia’ feita por cantora gospel: ‘Carnaval vai falir’
Alcione: ‘nesse país os caras roubam na Petrobras e a culpa é do samba’
Secretário de Crivella sugere corte de 100% da verba para escolas e critica Paes

Presente na reunião, o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, voltou a defender o corte de 50% da verba e o investimento nas creches. Citando os recursos em São Paulo, justificou o uso do dinheiro na educação.

“No ano passado (ainda na gestão Eduardo Paes), a gente dobrou a verba do Carnaval (de R$ 1 milhão para R$ 2 milhões), mas sabe quanto São Paulo paga por cada criança em creche conveniada? R$ 25. E Minas Gerais é R$ 20. E o Rio paga R$ 10. Aumentou o Carnaval e não aumentou para as crianças”, discursou.

João Doria – Rovena Rosa/Agência Brasil

Entenda o caso

Crivella anunciou que pretende cortar em 50% a verba destinada às escolas de samba para investir em creches. O valor em 2017 foi de R$ 24 milhões, sendo R$ 2 milhões para cada agremiação. Como em 2018 serão 13 escolas no Grupo Especial, a expectativa era que o montante chegasse a R$ 26 milhões. Mas, conforme a Riotur (Empresa Municipal de Turismo do Rio de Janeiro), responsável por organizar a festa, já confirmou, o valor ficará mesmo em R$ 13 milhões.

A Liesa (Liga Independente das Escolas de Samba) anunciou que, sem os R$ 13 milhões, os desfiles ficam inviáveis em 2018, e decidiu suspender as apresentações até que as partes cheguem a um acordo. A entidade espera conseguir um encontro com o prefeito, algo que vem tentando há meses, sem sucesso.

Na última sexta-feira, a Riotur disse, em nota, que o Carnaval está garantido e afirmou que vai buscar na iniciativa provada os recursos para as escolas. Mas confirma que as creches são prioridade.

Em resposta, sambistas realizaram um protesto no sábado. O grupo se concentrou em frente ao edifício administrativo da prefeitura, na Cidade Nova, e caminhou até a Marquês de Sapucaí.

O prefeito de Duque de Caxias, Washington Reis, se prontificou a ajudar e ofereceu levar os desfiles para a cidade da Baixada Fluminense. “A festa traz receita, movimenta a economia. Tem dinheiro para tudo. Se puder levar a Sapucaí para Caxias, eu banco. Vai dar lucro, traz turistas, é importante para a cidade”, disse Reis ao jornal Extra.

(Com Rádio Bandeirantes e Estadão Conteúdo)

TESTE: Descubra se essas personalidades já foram homenageadas no Carnaval

 

Sobre o autor

Romulo Tesi

Romulo Tesi

Jornalista carioca, criado na Penha, residente em São Paulo desde 2009 e pai da Malu. Nasci meses antes do Bumbum Paticumbum Prugurundum imperiano de Rosa Magalhães, em um dia de Vasco x Flamengo, num hospital das Cinco Bocas de Olaria, pertinho da Rua Bariri e a uma caminhada do Cacique de Ramos, do outro lado da linha do trem. Por aí virei gente. E aqui é o meu, o nosso espaço para falar de samba e Carnaval.

Comentários

  • Os caras recebem um caminhão de dinheiro suspeito, ou acham que eles pagam cada funcionário dos seus barracões com carteira assinada, ou declaram tudo que gastam? Bicheiros e traficantes lavando dinheiro, que já foi provado. Ah, mas gera emprego e renda, concordo, mas tudo de forma suspeita. Ou as comunidades nunca foram cobrar a prefeitura para dar educação as suas crianças? Então, se for mesmo investido em educação, ano que vem tem que cobrar isso. E se fossem mesmo orrganizados, não iriam depender da prefeitura pra nada, pois tem verbas de TV, patrocinadores diversos, única coisa é o aluguel do sambódromo, que pode ser pago com bilheteria…

  • Muito simples.a pergunta e.o carnaval da lucro? se da lucro como e feita a distribuição do lucro?
    as cidades onde ha desfile de escolas de samba recebem o que investiram mais uma parte dos lucros?
    ou somente os empresários que lucram com isso e os políticos que usam o carnaval pra se promover
    no final saem ganhando? a cidade de New Orleans promove todo ano carnaval que não e tao grande
    como o brasileiro e mesmo assim os lucros vão todos para a cidade em forma de impostos gerados
    e quem investe pesado e a iniciativa privada que tem o seu lucro merecido. no Brasil o cidadão paga a festa e os empresários embolsam os lucros!

  • A gente vê essas notícias e percebe quanta gente mama nas tetas do governo enquanto 2 problemas assolam silenciosamente no Brasil: A parte social e o Resto. SP e RJ não têm a casa arrumada é quer pagar milhões em nome da “Cultura Brasileira”? Tudo máfia!

  • Não estou defendendo os sambistas, mas o carnaval gera milhares de emprego todos sabemos. Concordo também que primeiramente temos quer dar ensino e saúde, agora este filhote de Edir esta usando as criancinhas para comover a opinião publica, todos sabemos que este dinheiro economizado não ira para tais fins.

  • Concordo com redução de verba pública para carnaval. Não concordo que a prefeitura tenha que interessar negociação com empresas. Problema das escolas.

  • Isso acontece não somente no carnaval mas também no futebol..investe se dinheiro publico e o lucro ficam com os empresários..
    Mobiliza policia saude tudo de graça para esses eventos ….deixem que eles se virem ou seja envista dinheiro deles.

  • Há uma possibilidade de quebrar a rede hoteleira, mas quem precisa de hotéis? Os cariocas tem as suas casas, não precisam de hotéis. Hotel é coisa de rico, de turistas, de demônios que vem a cidade para satisfazer seus instintos carnais. Não é esse o discurso?

  • Em tempos de crises e outras prioridades, deveriam uilizar nosso suado dinheiro com coisas mais úteis e não carnaval que foca em promiscuidade, sexo, drogas, exploração infantil, e tantas outras mazelas….

  • O maior evento cultural do país, o maior fato turístico anual do Rio de Janeiro,.

    Uma festa que gera milhares de empregos, com uma previsão de render aproximadamente 6 bilhões de reais para a economia da cidade; mas as mentes anestesiadas batem palmas para a demagogia do prefeito em nome de 12 milhões de reais que correspondem exatamente a 0,04% do orçamento municipal.

    “Jente” inteligente.

  • Talvez aí está a diferença de postura do Dória ao do Crivella. No caso do Dória primeiro planeja a substituição das verbas por patrocínios privados para então fazer, sem prejudicar os eventos microecômicos que o Carnaval gera positivamente, sabendo que um simples corte de verba pode prejudicar o carnaval, a economia e a arrecadação de impostos. Enquanto isso o prefeito do Rio apenas anuncia que corta as verbas, ignorando todas as consequências, achando que não vai resultar em nada. Agora, se o Dória souber mexer muito bem economicamente e politicamente (sim, o Dória é politico, mesmo que ele fale o contrário), vai conseguir fazer algumas escolas do Rio desfilarem em São Paulo como convidadas no Domingo, conseguindo agradar até a Globo que ficaria com um problema de buraco de transmissão no Carnaval.

  • parabens, Crivella…dinheiro publico é para creches, posto de saude, segurança, escola e lazer na PERIFERIA, todo esse eleitor q depositou esperança em voce….que o Dória aprenda essa lição tambem !

Deixe o seu comentário