Home » Imperatriz supera Portela e é campeã da disputa de desfiles antigos do Boi Beleza

Imperatriz supera Portela e é campeã da disputa de desfiles antigos do Boi Beleza

Desfile da Imperatriz de 1996
Imperatriz de 1996 – Wigder Frota

Aconteceu de novo. Depois de liderar boa parte da apuração, a Portela de 1995 foi superada pela Imperatriz Leopoldinense de 1996, que ficou com o título do Boi Beleza 2021. O concurso confrontou apresentações antigas das agremiações, de anos diferentes. A leitura das notas foi realizada nesta Quarta-Feira de Cinzas, 17, como manda a tradição.

O célebre desfile portelense de 1995 também perdeu para a Imperatriz naquele ano, em um resultado muito criticado pelos torcedores até hoje. Na ocasião, a Portela ficou em segundo, atrás somente da Imperatriz. No tira-teima em 2021, a Águia voltou a ser superada pela escola de Ramos.

A Imperatriz venceu o Boi Beleza com o desfile sobre Dona Leopoldina, a primeira imperatriz do Brasil, que batiza a região da escola. A vice Portela disputou com o enredo sobre a história do Carnaval.

Em 1996, a Imperatriz tentava o tricampeonato, mas ficou com o vice – perdeu para a Mocidade Independente de Padre Miguel. Agora o título veio. A Portela liderou até o penúltimo quesito, mas a virada gresilense veio em Alegorias e Adereços.

“Dessa vez ganhamos. Eu espero que o povo da Leopoldina esteja satisfeito com mais esse campeonato”, disse a carnavalesca Rosa Magalhães, que assina o desfile, logo após o título do Boi Beleza.

O concurso, uma grande brincadeira levada a sério, foi promovido pelo trio do canal Boi com Abóbora, no YouTube, formado pelos jornalistas João Gustavo Melo e Fábio Fabato e o carnavalesco André Rodrigues. A missão era preencher o vazio deixado pelo ano sem desfiles, por causa da pandemia de Covid-19.

“O ‘Boi’ nasce do afeto pela folia. Uma festa fundamental para a construção do que é o Brasil, mas ainda pouco decodificada em seus detalhes”, disse Fabato ao Setor 1.

Um júri formado por 40 pessoas, todos apaixonados pelo Carnaval, atribuiu notas para 12 escolas em 10 quesitos.

O canal agora estuda fazer um Desfile das Campeãs no sábado, 20, com as seis primeiras, além de Vila Isabel e Grande Rio, que não tiveram suas apresentações exibidas após o canal ser derrubado pela TV Globo.

POSIÇÃOESCOLAANOPONTUAÇÃO
Imperatriz Leopoldinense1996392,5
Portela1995390,5
Paraíso do Tuiuti2018384,5
Salgueiro2007382,5
Mocidade Independente de Padre Miguel1997381,5
Unidos da Tijuca2004381,5
Viradouro1998381
Mangueira2017380
Vila Isabel1993378,5
10ºSão Clemente2015375
11ºBeija-Flor1996374
12ºGrande Rio2006362,5

As seis primeiras “desfilarão” novamente no Sábado das Campeãs, no próximo dia 20, quando as apresentações serão reexibidas.

Os desfiles foram escolhidos por enquete na internet e exibidos em dois dias de lives, nos dias 12 e 13, sexta e sábado de Carnaval, respectivamente.

Na sexta, mais de 20 mil pessoas assistiram aos desfiles, comentados como se estivessem acontecendo ao vivo, desafiando “tempo e espaço”, como Fabato diz. O Boi teve abertura oficial com o prefeito Eduardo Paes – o próprio – e chegou aos trending topics – assuntos mais comentados – do Twitter.

O trio do Boi Beleza - Gustavo, Fabato e André - com a placa que será entregue à Imperatriz
Gustavo, Fabato e André com a placa que será entregue à Imperatriz – Divulgação

No segundo dia, porém, a live foi derrubada pela Globo quando ainda faltavam as apresentações de Unidos da Tijuca de 2004 e Vila Isabel de 1993. O canal ficou impedido de realizar novas lives momentaneamente.

Veja também:
Saiba quando cai o Carnaval em 2022
FGV: Rio perde R$ 5,5 bilhões sem Carnaval
Grupo lança manifesto por trabalhadores do Carnaval e cria imagens simbólicas do ano sem desfiles
Vai-Vai presta solidariedade a Lucas do BBB: “Sua comunidade está aqui”
‘Sem desfile, liga não tem ideia do que fazer’, diz pesquisador do Carnaval

Na terça-feira, 16, com o canal restabelecido, o Boi anunciou os vencedores do Duju de Ouro – uma versão do Estandarte de Ouro, do jornal O Globo, só que patrocinado pela marca de geleia de pimenta Duju. Os experts Luiz Antonio Simas, Rachel Valença, Felipe Ferreira, João Gustavo Melo e Fábio Fabato elegeram os melhores em categorias especiais. A Vila Isabel venceu como melhor escola.

Veja a lista de vencedores do Duju de Ouro:

Melhor escola: Vila Isabel 1993
Samba de enredo: Portela 1995
Porta-bandeira: Maria Helena (Imperatriz 1996)
Mestre-sala: Élcio PV (Beija-Flor 1986)
Bateria: Mocidade Independente 1997
Comissão de frente: Imperatriz 1996 e Tuiuti 2018
Enredo: Vila Isabel 1993
Baianas: Mangueira 2017
Ala: Manifestoches (Tuiuti 2018)
Puxador: Dominguinhos do Estácio (Viradouro 1998)
Alegoria: Criação do Mundo (Vila Isabel 1993) e Coração (Mocidade 1997)
Destaque: Walkyria Miranda (Imperatriz 1996); Tânia Índio do Brasil (Mangueira 2017); Marlene Paiva (Mocidade 1997)
Prêmios Especiais: Personalidade: Joãosinho Trinta, Rosa Magalhães e Renato Lage.
Prêmios especiais: Vila Isabel e Grande Rio

Romulo Tesi

Romulo Tesi Jornalista carioca, criado na Penha, residente em São Paulo desde 2009 e pai da Malu. Nasci meses antes do Bumbum Paticumbum Prugurundum imperiano de Aluisio Machado, Beto Sem Braço e Rosa Magalhães, em um dia de Vasco x Flamengo, num hospital das Cinco Bocas de Olaria, pertinho da Rua Bariri e a uma caminhada do Cacique de Ramos, do outro lado da linha do trem. Por aí virei gente. E aqui é o meu, o nosso espaço para falar de samba e Carnaval.

Adicionar comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.