Home » Dragões da Real desiste de enredo inspirado em pandemia e música de Raul Seixas; Marcelo Adnet assina samba

Dragões da Real desiste de enredo inspirado em pandemia e música de Raul Seixas; Marcelo Adnet assina samba

Raul Seixas, O Dia em que a Terra parou
Capa do álbum de Raul Seixas

A Dragões da Real, do Grupo Especial de São Paulo, desistiu do enredo “O dia em que a Terra parou”, originalmente lançado para o próximo Carnaval 2021 – que não aconteceu. O anúncio foi feito na noite desta segunda-feira, 19, pelo presidente da agremiação, Renato Remondini, em vídeo.

“Em consenso com toda a escola, entendemos que agora é hora de virar a chave, de falarmos de alegria, de mostrar o sorriso no rosto”, disse o dirigente, sem revelar qual será o tema para o Carnaval 2022.

Com o título da musica de Raul Seixas, “O dia em que a Terra parou” foi mais um dos enredos tirados da pandemia de Covid-19, que cancelou o Carnaval de 2021. A ideia era imaginar um cenário quase apocalíptico, em que as pessoas passassem a valorizar gestos e atividades esquecidas no ritmo frenético da vida pré-pandemia.

Veja também:
Saiba quando cai o Carnaval em 2022
Veto corintiano ao verde também vale no Carnaval, mas há uma exceção
‘Nós nascemos para combater um ditador’, diz fundador da Gaviões da Fiel

Novo Anhembi prevê arena na concentração do Sambódromo; obra pode mudar desfiles
Carlinhos Maia é tratado em samba-enredo como ‘herói’ da nova comunicação, diz compositor

O carnavalesco Jorge Silveira, responsável pelo enredo original, também assinará o novo desfile. No vídeo divulgado nesta segunda, a escola revelou alguns desenhos de Silveira para o desfile que não acontecerá.

Desenho do abre-alas para o enredo original

O enredo sobre novo mundo após a pandemia já tinha até samba escolhido, composto por uma parceria formada pelo humorista Marcelo Adnet com Thiago SP, Léo do Cavaco, Renne Campos, Darlan Alves, Rodrigo Atração, Alemão do Pandeiro, Wanderley Monteiro, Paulo Senna, André Carvalho e Tigrão. Ouça abaixo:

Romulo Tesi

Romulo Tesi Jornalista carioca, criado na Penha, residente em São Paulo desde 2009 e pai da Malu. Nasci meses antes do Bumbum Paticumbum Prugurundum imperiano de Aluisio Machado, Beto Sem Braço e Rosa Magalhães, em um dia de Vasco x Flamengo, num hospital das Cinco Bocas de Olaria, pertinho da Rua Bariri e a uma caminhada do Cacique de Ramos, do outro lado da linha do trem. Por aí virei gente. E aqui é o meu, o nosso espaço para falar de samba e Carnaval.

Adicionar comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.