Home » Paes afirma desconhecer projeto de desfile em novembro no Rio

Paes afirma desconhecer projeto de desfile em novembro no Rio

Eduardo Paes
Eduardo Paes na Sapucaí em 2012 – Nelson Perez/Riotur

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, disse nesta terça-feira, 22, que desconhece o projeto de realizar um desfile em novembro no Sambódromo, como evento-teste para o Carnaval de 2022.

“Só não estou sabendo disso. Novembro acho difícil!”, escreveu Paes no Twitter, comentando notícia do site “Carnavalesco” sobre a proposta.

O perfil do portal de notícias sobre o Carnaval respondeu citando declaração do presidente da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa), Jorge Perlingeiro, confirmando a ideia da apresentação, ainda não confirmada.

Segundo a coluna “Radar”, da revista Veja, e a CNN, a proposta prevê a realização de um desfile com trabalhadores dos barracões das escolas de samba, para servir de teste para as apresentações oficiais, previstas para o Carnaval de 2022. Isso se a situação sanitária permitir, dependendo do ritmo de vacinação contra a Covid-19.

Veja também:
Saiba quando cai o Carnaval em 2022
Tia Surica brinca e diz que Paes estava com medo da agulha: ‘falei pra deixar de palhaçada’

Na Portela, Eduardo Paes é vacinado segurando a mão de Tia Surica e brinca com Doria
Senador Girão usa morte de Nelson Sargento para questionar eficácia da Coronavac e causa revolta nas redes sociais
CPI da Covid: Mandetta nega que Bolsonaro tenha pedido cancelamento do Carnaval

O projeto do desfile seria assinado pelo carnavalesco Leandro Vieira, da Mangueira e do Império Serrano.

Recentemente, o Corpo de Bombeiros liberou a Cidade do Samba, complexo onde estão localizados os barracões das escolas, que estava interditado desde janeiro deste ano. Com isso, as agremiações se organizam para retomar os trabalhos. No entanto, algumas ainda não têm dinheiro para iniciar a confecção de fantasias e montagem das alegorias.

E

Romulo Tesi

Romulo Tesi Jornalista carioca, criado na Penha, residente em São Paulo desde 2009 e pai da Malu. Nasci meses antes do Bumbum Paticumbum Prugurundum imperiano de Aluisio Machado, Beto Sem Braço e Rosa Magalhães, em um dia de Vasco x Flamengo, num hospital das Cinco Bocas de Olaria, pertinho da Rua Bariri e a uma caminhada do Cacique de Ramos, do outro lado da linha do trem. Por aí virei gente. E aqui é o meu, o nosso espaço para falar de samba e Carnaval.

Adicionar comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.